FLORES, O PONTO MAIS OCIDENTAL DA EUROPA

Flores, a ilha maior do grupo ocidental dos Açores, é o ponto mais ocidental deste arquipélago e de Portugal, mas também da Europa, a qual possui este belo nome precisamente pela presença abundante de hortências que dividem os seus campos. Todavia, segundo Gaspar Frutuoso na sua obra sobre os Açores, Saudades da Terra, a origem do nome Flores que foi dado a esta ilha deve-se aos primeiros homens que lá chegaram que, deparando-se com a forte abundância de flores amarelas “os cubres” que cobriam as encostas da ilha, atribuíram-lhe esta dominação.

Mapa da ilha das Flores
Ilha das Flores

 

A ilha das Flores fazendo par com a vizinha ilha do Corvo, constituem o grupo ocidental do arquipélago e foram ambas as últimas ilhas a serem descobertas, em 1452, aquando da viagem de regresso de Diogo de Teive da Terra Nova, sendo este o seu primeiro capitão-donatário. Nesta ilha também se fixaram flamengos, nomeadamente Willem van der Haegen que, depois de ter passado pelas ilhas Terceira e Faial, acabou por mudar-se para a ilha das Flores, o qual foi responsável pelo cultivo de pastel na ilha. Contudo, o povoamento desta ilha fez-se, numa primeira fase, ao longo da orla costeira, sendo os seus primeiros habitantes oriundos da ilha Terceira, do arquipélago da Madeira, mas também em grande parte da região norte de Portugal.

Esta foi uma ilha que sempre sofreu com a questão do isolamento, o que se tornava um problema, relativamente ao abastecimento da mesma e à sua segurança, tendo sido, à semelhança das outras ilhas dos Açores, atacada várias vezes por piratas e corsários. Neste sentido, aquando do Domínio Filipino em Portugal, as Flores sofreram sucessivos ataques de corsários ingleses que saquearam a ilha e atormentaram a população.

No século XIX, no contexto da Guerra Civil Portuguesa (1828-34), a ilha das Flores reconheceu prontamente o governo liberal nos Açores. Ainda nesta centúria, a atividade baleeira tornou-se uma realidade nesta ilha, devido às regulares visitas de baleeiros americanos que lá chegavam, o que levou a população florentina a dedicar-se à baleação.

Bote baleeiro nas Flores, anos 60
Atividade baleeira no porto da Fábrica da Baleia do Boqueirão, Flores, 1960

Atualmente, a ilha das Flores é uma ilha tão desenvolvida quanto as outras, cujo isolamento foi quebrado no século passado com a construção da Base Francesa das Flores e mais tarde com o hospital e aeroporto que permitiram dar melhores condições de vida à ilha, maior independência e também estabelecer uma maior proximidade ao restante arquipélago.

Base Francesa nas Flores, anos 60
Ilha das Flores com vista para o Corvo, anos 60
Santa Cruz das Flores, anos 60
Publicado a 7 Abril, 2021