FAIAL, “ILHA DE VENTURA” ?

A ilha do Faial, primitivamente denominada de “ilha da Ventura”, de acordo com o antigo Atlas Catalão do século XIV, foi achada por Gonçalo Velho Cabral, em 1432. Ficou assim intitulada de Faial precisamente pela abundância da planta “faia das ilhas” que nela havia aquando do seu povoamento.

Myrica faya, nome científico da planta que deu nome à ilha.

 

Esta ilha destingiu-se pelo facto de ter sido povoada significativamente por flamengos, na segunda metade do século XV, isto graças à ação de Jos Dutra que, fazendo-se acompanhar da família e amigos, veio viver para esta ilha açoriana, contribuindo assim, numa primeira fase para o seu futuro desenvolvimento económico, o qual se deveu sobretudo à cultura do trigo e do pastel.

Ilustração da cidade da Horta, Faial
Pastel, planta tintureira no Faial

 

Aquando do Domínio Filipino em Portugal, a ilha do Faial foi o último território que recusava a obediência a Filipe I. Esta recusa veio a desencadear um clima de guerrilha na ilha, onde o Forte de Santa Cruz da Horta repeliu fogo sobre as forças espanholas, acabando por ser estes últimos os vencedores, o qual acabou por entregar a ilha ao domínio espanhol, tal como resto do país.

Já no século XIX, no contexto da Guerra Civil Portuguesa (1828- 1834), esta ilha foi ocupada pelos liberais, tendo recebido D. Pedro IV, o qual elevou a vila da Horta a cidade, tornando-a na 3ª cidade dos Açores.

Num aspeto geográfico, a ilha do Faial ao longo da história sempre ocupou uma posição geoestratégica no oceano Atlântico a nível internacional graças à construção do seu porto artificial, em 1876, uma vez que se encontrava nas rotas dos navios do comércio da laranja, e sobretudo atraía inúmeros barcos baleeiros provenientes dos EUA que nela atracavam para abastecer.

Horta, Faial

 

Durante a Primeira Guerra Mundial, o Faial sofreu um bombardeamento por parte do Império Alemão, atingindo a cidade da Horta. Mais tarde, em finais dos anos 50 do século XX, um desastre natural abalou toda a ilha, a erupção do vulcão dos Capelinhos, que de certa forma modificou a vida dos seus habitantes e a sua história, sendo um dos grandes motivos para que muitos faialenses emigrassem para o continente americano.

Canhoeiro NRP Açor, na baía da Horta, Faial para defesa da ilha durante a Primeira Guerra Mundial
Erupção do vulcão dos Capelinhos, Faial, 1957
Publicado a 22 Março, 2021